Adaptabilidade organizacional

O que é adaptabilidade organizacional? Veja como ela pode melhorar sua vida profissional

As empresas competem no mercado, que é um dos ambientes mais voláteis que existe. Por causa disso, elas precisam mudar e se adaptar constantemente. Porém, se a empresa precisar mudar, ela precisa de funcionários que mudem com ela. Sabendo disso, leia este texto e aprenda como desenvolver sua adaptabilidade organizacional. 

O que você encontrará nesse texto:

  • O que é adaptabilidade? 
  • Por que adaptabilidade é importante para quem trabalha?
  • O que é Adaptabilidade Organizacional? 
  • O que é adaptabilidade de carreira?
  • Como desenvolver a adaptabilidade organizacional? 

O que é adaptabilidade? 

Para falarmos de adaptabilidade organizacional, vamos primeiro esclarecer o que é adaptabilidade. 

Adaptabilidade é a capacidade de se adaptar a novas condições. Do ponto de vista biológico, adaptabilidade é a capacidade natural de um organismo ser capaz sobreviver em determinado habitat. 

Esse conceito serve de base para entendermos a adaptabilidade em outros contextos. John F. Kennedy, 35º presidente dos Estados Unidos, disse uma vez: 

“A mudança é a lei da vida. E aqueles que apenas olham para o passado ou para o presente irão, com certeza, perder o futuro.”

Não é nada fácil conviver com o futuro incerto ou mudanças, mas é certo que elas vão acontecer. Assim, cada um deve decidir se permanecerá resistindo às mudanças ou se tentará tomar proveito delas

Quando desenvolvemos a adaptabilidade conseguimos aceitar mudanças, e enxergar seus pontos positivos.  

Por que adaptabilidade é importante para quem trabalha?

Fases de adaptabilidade
Fases de adaptabilidade

Funcionários que possuam flexibilidade e adaptabilidade são cada vez mais valorizados no mercado. Isso porque, principalmente agora na era digital, as mudanças estão se tornando cada vez mais rápidas e radicais. 

Elas abrangem desde a comunicação e relações humanas até a forma de trabalhar. Alguns estudiosos já propuseram o QA (Quociente de adaptabilidade). Ele mede o nível de adaptabilidade dos profissionais

Natalie Fratto, vice-presidente da Goldman Sachs disse que o QA se molda em torno de um conjunto de habilidades. Elas permitem à pessoa abandonar ideias obsoletas e se aproveitar da situação atual. 

Dentre essas habilidades estão: 

Flexibilidade: Habilidade para lidar com diversos cenários

Curiosidades: Se interessar pelo que tem de novo

Coragem: Habilidade que permite enfrentar o medo, principalmente o das mudanças

Resiliência: Habilidade de superar desafios sem perder sua essência

Antifragilidade: Habilidade de aprender com os desafios 

Transformação mundial

Na transição do século XX para o XXI vivemos mudanças radicais no mercado de trabalho. Os ambientes corporativos, antes eram excessivamente formais com regras rigorosas, carteira assinada, batida de ponto e horário fixo

Hoje essas regras foram flexibilizadas. Os contratos, formas de trabalho e legislação agora se voltam para os serviços sob demanda, profissionais autônomos e que trabalham de home office

Tantas novidades acabaram por fazer algumas pessoas acostumadas com as regras antigas a perderem o emprego por não conseguirem se adequar às mudanças

Assim, saiu na frente quem investiu em adaptabilidade. Aceitar as mudanças e tirar proveito delas foi o melhor caminho. As pessoas que optaram por ele aprenderam coisas novas, como melhorar os relacionamentos e delegar tarefas operacionais a máquinas

Era Digital

Com a popularização dos computadores e internet, surgiu a era digital. Antes, essas ferramentas eram restritas a empresas e laboratórios. Agora elas conferem o poder de derrubar barreiras geográficas a usuários de todo o mundo. 

Com o desenvolvimento tecnológico, as máquinas foram introduzidas no mercado de trabalho. Big data, internet das coisas e IAs (Inteligências artificiais) já são uma realidade. Algumas pessoas até pensam que no futuro iremos delegar todas as tarefas operacionais aos robôs

Existem previsões de que 10 a 40% dos atuais empregos serão ministrados por máquinas. A ideia é que essas funções sejam feitas com maior agilidade e assertividade. 

Especialistas chamam atenção para a Quarta Revolução Industrial que trará ainda mais máquinas. Isso exigirá uma qualificação e adaptabilidade maior por parte dos funcionários. 

Os humanos precisarão se adaptar e melhorar suas competências para aprender a usar as novas máquinas.

O que é Adaptabilidade Organizacional? 

Agora que você já entendeu adaptabilidade, vamos entender a adaptabilidade organizacional. Ela é a habilidade de uma empresa quebrar padrões e se tornar referência com novos métodos, visão e objetivo

As organizações precisam desenvolver a adaptabilidade organizacional para serem bem sucedidas na era digital. Elas precisam investir em processos cada vez mais efetivos e rápidos. Isso angaria mudanças constantes. 

A adaptabilidade organizacional consta como um dos oito Fundamentos de Excelência da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). De acordo com o órgão, adaptabilidade inclui a capacidade de mudar e a flexibilidade. 

Capacidade de mudar significa identificar mudanças e implementá-las. Já a flexibilidade está ligada à prontidão para resposta

Ou seja, é a análise da estratégia e a tomada de decisão a partir daí. O objetivo é usar as mudanças para manter a competitividade. 

A FNQ ainda recomenda a gestão da mudança como forma de desenvolver a adaptabilidade organizacional. Ela prepara a empresa para gerir mudanças, controlar os impactos e identificar novas estratégias.    

Curva de aceitação da mudança

A gestão da mudança deve levar em conta a curva de aceitação da mudança. Esse é o período que os colaboradores demoram para incorporar as transformações. Ela inclui 8 estágios. São eles: 

  1. Interesse inicial: Normalmente, uma mudança provoca interesse nas pessoas porque desperta a curiosidade. 
  2. Choque: O colaborador percebe que a mudança vai acontecer, mas não vê necessidade nela. Esse sentimento provoca desconforto. 
  3. Negação: Nessa etapa o colaborador tenta resistir às mudanças negando a realidade. 
  4. Raiva: Chegando a esse ponto, o colaborador percebe que a mudança veio pra ficar e tenta reagir impulsivamente. 
  5. Barganha: O colaborador aceita a nova realidade, mas tenta inibir o seu desconforto tentando enxergar pontos positivos.   
  6. Adaptação: Nesse passo, o colaborador começa a aceitar a mudança e até vê-la como algo positivo. 
  7. Teste: Nesse momento o colaborador decide testar as novas práticas para constatar seus benefícios. 
  8. Aceitação: No último passo ele aceita a mudança e começa a tirar proveito dela para aumentar sua produtividade e comprometimento.  

O que é adaptabilidade de carreira? 

É a capacidade de se reinventar diante das mudanças na vida profissional. Essas mudanças podem incluir tanto o escopo geral da vida profissional do trabalhador, quanto serem limitadas à empresa em que ele trabalha. 

Assim, percebemos mais uma vez o quanto a adaptabilidade é necessária para empresas e profissionais de todos os níveis se manterem competitivas no mercado. Pessoas flexíveis é que mantém organizações modernas e lucrativas

Júlio César Zanluca escreveu um artigo com algumas características de profissionais que investem em adaptabilidade: 

  • Preparam-se para as mudanças através do desenvolvimento contínuo;
  • Não temem as mudanças. Dedicam-se a se aproveitar delas;
  • Estão sempre se atualizando;
  • São proativos; 
  • Têm humildade de aceitar que não sabem tudo e que se há mais para aprender;
  • Tentam sair da rotina de várias formas diferentes;
  • Não abrem mão do que acreditam, mas aceitam opiniões divergentes e valorizam seus companheiros. 

Como desenvolver a adaptabilidade organizacional? 

Normalmente, as pessoas que saem a frente na adaptabilidade organizacional são as corajosas ou curiosas. Ainda assim, essa é uma habilidade que qualquer um pode aprender, desde que esteja disposto a superar as chamadas crenças limitantes.

Crenças limitantes são pensamentos consolidados que prejudicam o conhecimento. O mais comum é que elas sejam criadas por traumas. 

Ou seja, acontecimentos ruins que consolidam uma ideia na mente do indivíduo. A partir daí, essa ideia é tratada como padrão ou argumento para que ele se imponha limites

Para superá-las, devemos justamente colocá-las em xeque. Tenha consciência que se você você continuar tentando e nunca desistir, pode falhar quantas vezes forem necessárias, mas em algum momento irá conseguir.

Contudo, não é só isso que podemos fazer para desenvolver a adaptabilidade organizacional. Veja mais algumas dicas: 

Emoções

Citamos aqui o Quociente de Inteligência Emocional (QE). Ele reúne características usadas para dominar as emoções. Esse domínio é muito importante para desenvolver a adaptabilidade, porque é preciso controlar as emoções para lidar com as mudanças

Para controlar suas emoções tenha consciência de que elas não são racionais. Você precisa ter autoconhecimento para descobrir o que está provocando elas e, dessa forma, contornar a situação.  

Poder de decisão

Essa dica tem a ver com a primeira, pois a emoção que inibe nosso poder de decisão é o medo. Ficamos com medo de tomar a decisão errada e acabamos paralisados

Isso não é nada bom, pois se não decidirmos, alguém decidirá por nós e sem considerar o que pensamos

Então, o poder de decisão tem a ver com a coragem necessária para assumir riscos

Transformação da mudança em oportunidade

Toda crise implica mudanças e as oportunidades se escondem nesse meio. Faça um estudo da situação da empresa e tente encontrar possibilidades de crescimento onde tudo parece ruim.  

Otimismo

Como se adaptar a uma situação que você está convicto que vai dar errado? Ser otimista não é ignorar os pontos negativos, mas conscientemente valorizar os positivos. Ou seja, é uma escolha. 

Os otimistas conseguem ver oportunidades com maior facilidade e exercitar a gratidão. Isso os permite se adaptar mais facilmente às situações.  

Aceitação do novo

O ser humano naturalmente cria zonas de conforto. Espaços ou situações em que ele se sente bem e seguro. Contudo, para aprender e se adaptar, é preciso aceitar o novo

Claro que você se sentirá intimidado inicialmente, mas ele pode ser ainda melhor do que o que você já conhece. Além disso, se você se desapontar, pode escolher outra rota.  

Continue aprendendo

Converse com pessoas diferentes e consuma todos os tipos de conteúdos para desenvolver a adaptabilidade organizacional

O motivo é que toda mudança exige a obtenção de novos conhecimentos. Afinal, você está largando o conhecido para abraçar o novo. Para tirar proveito da mudança, é necessário que consiga novas habilidades

Tente aprender algo novo todo dia. Conhecimento atrai conhecimento. Isso irá contribuir muito mais para o seu desenvolvimento profissional.  

Por fim, esperamos que esse artigo sobre adaptabilidade organizacional tenha sido útil para você. Para terminar recomendamos que baixe o app do Peixe 30. Sua nova rede social profissional. 

Com ele, empresários conseguem encontrar colaboradores de qualidade e trabalhadores conseguem mostrar seu trabalho às grandes empresas com maior facilidade. Baixe agora!

Faça parte desse oceano! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *