Industria 4.0

O que é Indústria 4.0? Aprenda como ele impacta a sua empresa

Indústria 4.0 é o termo utilizado para se referir às novas tecnologias implantadas nas indústrias que têm capacidade de mudar toda a sociedade. Nesse texto, você vai aprender tudo sobre a Indústria 4.0 e como ela irá afetar o mercado e a sua empresa.

O que você vai encontrar nesse texto:

  • O que é Indústria 4.0?
  • Quarta Revolução Industrial? 
  • Indústria 4.0 no Brasil
  • Qual o cenário atual?
  • Números da Indústria 4.0 no Brasil
  • Pilares da Indústria 4.0
  • 10 tecnologias da Indústria 4.0 
  • Vantagens e Desvantagens da Indústria 4.0
  • Quais os principais desafios da Indústria 4.0?
  • Quais mudanças sua empresa pode sofrer?
  • Como se preparar para a Indústria 4.0?

O que é Indústria 4.0?

Indústria 4.0 pode ser vista como o segundo nome da Quarta Revolução Industrial. Ela abarca automação e tecnologia

As mãos humanas foram substituídas por máquinas há muito tempo. Porém, a Indústria 4.0 vem para revolucionar ainda mais essa realidade, redefinindo o que conhecemos como automação

Antes, automação era a capacidade de uma máquina fazer o trabalho de uma pessoa. Com a Indústria 4.0, a robótica avançou ao ponto que as máquinas conseguem realizar trabalhos muito mais complexos. Isso sem necessitar da interferência humana. 

E quando dizemos “trabalhos”, não nos referimos a simples tarefas braçais, mas também pensamento estratégico. Os computadores podem analisar quantidades imensas de dados em velocidades imensuráveis

Ou seja, Indústria 4.0 é a realidade em que a tecnologia é rápida, inteligente e autônoma

Quarta Revolução Industrial? 

Parceiros na Industria 4.0
Parceiros na Industria 4.0

É isso mesmo que você leu. Revolução é qualquer transformação radical na sociedade. Elas não são qualquer inovação que aparece. Demoram décadas para terem um impacto grande o suficiente para serem reconhecidas. 

Pode-se dizer que a Quarta Revolução Industrial não surgiu de invenções pontuais. E sim de uma tendência desenvolvimentista que mudou toda a estrutura do mercado

Para se ter uma ideia, automação e Internet das Coisas (IdC) são duas ferramentas essenciais para a Indústria 4.0. Ainda assim, fala-se a mais tempo nelas do que na Indústria em si. 

Indústria 4.0 no Brasil

Vários países já perceberam os benefícios da Indústria 4.0 e começaram a incentivá-la. 

Esse não é um processo fácil e precisa de um comitê de desenvolvimento para analisar em qual nível as indústrias já estão e em qual patamar desejam chegar. Somente então é estabelecido um plano de ação.  

Foi criado em junho de 2017, no Brasil, o Grupo de Trabalho para a Indústria 4.0 (GTI 4.0). Ele tem o objetivo de criar uma agenda para o tema e para isso foram definidas quatro propostas: 

  • Flexibilizar as fiscalizações e trabalhar em incentivos para o maior investimento de capital privado. 
  • Foco no empresário para que consiga melhor assistência para maior produção e menos gastos. Conseguindo, dessa maneira, abranger o maior volume possível de demanda.   
  • Ponderar sobre projetos-piloto e experimentos com neutralidade tecnológica. 
  • Equilibrar o apoio financeiro entre grandes e pequenas empresas. 

Após muita discussão, a Agenda Brasileira para a Indústria 4.0 foi lançada e ela continha as seguintes etapas: 

1- Sensibilização

Conscientizar os empresários do país sobre como investir em desenvolvimento é importante. 

2- Avaliação e oportunidades

Fornecer aos empresários uma plataforma para avaliar os dados sobre o desenvolvimento tecnológico e estratégico para definir os primeiros passos. 

3- Fábricas do futuro

Locais de testes para tecnologias inovadoras que ficarão à disposição de empresas que resolverem se arriscar. 

4- Ligação entre startups e indústrias

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) lançou o programa “Startup Indústria 4.0” para que microempresas ajudem indústrias. Também serão promovidas mudanças culturais e transformação digital.  

5- Financiamento

Explica quais linhas de crédito serão usadas para modernização da produção. 

6- Mercado 

A mão de obra será suprida pela formação 1,5 mil professores de educação profissional e tecnológica, além de 10 mil alunos da rede federal de educação da mesma área. 

7- Comércio internacional

Inclusão do tema Indústria 4.0 em todos os acordos que tem parte inclusa do Brasil. Isso envolveria redução de impostos para facilitar a entrada de tecnologias mais avançadas no país. 

8- Revisão de normas

Conseguir permissões para aceleração da robotização e digitalização das indústrias além de maior segurança jurídica digital. 

Qual o cenário atual?

Algumas empresas já começaram a sua jornada em busca do desenvolvimento e as medidas citadas na Agenda seguem sendo implantadas. A exemplo das startups que vêm se conectando de forma bem mais sólida às grandes corporações. 

Contudo, o projeto ainda segue engatinhando quando comparado com países desenvolvidos e devido à pandemia do coronavírus, projetos foram atrasados

Um exemplo é o C4IR Brasil, que deveria começar em São Paulo no primeiro semestre de 2020.  

A insegurança, falta de habilidade, falta de tecnologia e falta de conectividade são desafios ainda vividos pela indústria 4.0 no Brasil.  

Números da Indústria 4.0 no Brasil

Entre 2010 e 2016, o Brasil despencou da 5ª para 29ª posição no Índice Global de Competitividade da Manufatura. Ainda nesse período, a produtividade industrial caiu para mais de 7% e passou a representar menos de 10% do PIB

Estimativas da ABDI dizem que, no caso da implementação da Indústria 4.0, os custos com indústrias cairiam, pelo menos, R$ 73 bilhões ao ano

Sendo R$ 34 bilhões em ganhos de eficiência, R$ 31 bilhões em corte de gastos e R$ 7 bilhões em redução de consumo de energia. 

Caso essas estimativas se concretizem, o país passaria a subir no ranking de competitividade global. Atualmente sua posição é 71º de 141 avaliados. 

Pilares da Indústria 4.0

Segundo Siegfried Dais e Henning Kagermann, criadores do termo “Indústria 4.0”, os pilares da idéia eram 6:

1- Tempo real

Capacidade de captar dados instantaneamente, permitindo tomar decisões em tempo real. 

2- Virtualização 

Cópia virtual da fábrica feita a partir de sensores espalhados por toda a planta. Assim, seus processos poderiam ser monitorados mais facilmente. 

3- Descentralização

As próprias máquinas poderão coletar dados sobre os processos da fábrica, isso lhes permite aprender, avaliar as necessidades e tomar decisões por conta própria.

4- Orientação a serviços

Softwares são programados para permitir soluções conectadas a toda a indústria. 

5- Modularidade

Módulos são acoplados e desacoplado segundo às necessidades da fábrica, oferecendo flexibilidade nas tarefas. 

6- Interoperabilidade

Máquinas e sistemas podem se conectar como no conceito de internet das coisas. 

10 tecnologias da Indústria 4.0 

1- Internet das Coisas

Esse é um conceito que trata da conexão de aparelhos físicos à rede. É feita uma hiperconectividade que ajuda a otimizar as ações dos objetos

Televisores, ar condicionado, geladeiras e campainhas inteligentes são exemplos de eletrodomésticos já existentes que assimilam essa tecnologia. 

Um exemplo específico para empresas é um software de gestão em nuvem. Ele analisa os processos e gera relatórios instantâneos.  

2- Big Data

Big Data é o termo para uma quantidade exorbitante de dados armazenados em uma rede. Esses dados permitem às máquinas otimizarem suas funções. 

Um paradoxo sobre esse assunto é que os softwares analisam e alinham esses dados, tornando o trabalho das máquinas mais eficiente que o dos humanos

Contudo, os próprios softwares que realizam essa função são desenvolvidos por seres humanos

3- Inteligência Artificial 

Com o Big Data e a Internet das Coisas, uma indústria já tem o que precisa para entrar na Quarta Revolução

Porém, ainda falta um elemento para garantir a inovação: A Inteligência Artificial. É ela que permitirá às máquinas analisarem as situações e tomarem decisões sozinhas

4- Segurança 

Apesar da segurança no trabalho já ser uma questão antiga, todo o conhecimento adquirido sobre ela até então, é baseado no comportamento humano. Viés este, que muda devido à mecanização cada vez maior das fábricas

As preocupações, antes, pertenciam aos manuais de conduta. Agora, estão sendo transferidas para sistemas informacionais que consigam defender a comunicação entre as máquinas e os dados da empresa.    

5- Computação em Nuvem

A computação em nuvem permite a uma informação ser acessada de qualquer lugar do mundo graças a servidores conectados à internet

Para a Indústria 4.0, isso quer dizer ultrapassar os servidores da empresa e ampliar possibilidades de conexão. Tudo isso de forma mais barata e eficiente.  

6- Cobots

Esse é um termo que vem da fusão entre as palavras “collaborative” e “robot”. Eles são robôs que fazem tarefas perigosas, difíceis ou repetitivas para um ser humano

Diferente de robôs comuns que podem machucar humanos que tentem intervir em suas funções, os cobots trabalham em conjunto com as pessoas. Eles têm sensores que percebem a presença humana e então passam agir cautelosamente. 

7- Digital Twin

Gêmeos Digitais são réplicas virtuais idênticas de aparelhos da vida real. Seus objetivos são simulações, coletas de dados e manutenções. Por meio deles, é possível rastrear falhas nos equipamentos e corrigi-las antes que cause qualquer estrago. 

Um exemplo prático são os motores da GE Aviation, uma empresa de aviação. Seus motores possuem sensores que geram dados em tempo real. Assim, os gestores conseguem acompanhar seus desempenho e analisá-lo melhor. 

8- Manufatura Aditiva 

É uma das principais tecnologias da impressão 3D. Por meio desta, são fabricados objetos com a colocação de camadas umas sobre as outras. Ela ajuda a visualizar moldes odontológicos

Já houve casos de prédios e até órgãos serem criados com base nesse método. Ele vem sendo aprimorado para um nível de personalização ainda maior. Daqui a pouco tempo, podemos ver indústrias pedindo instruções ao cliente para montar seus produtos. 

9- Biologia Sintética

“É a convergência de novos desenvolvimentos tecnológicos nas áreas de química, biologia, ciência da computação e engenharia, permitindo o projeto e construção de novas partes biológicas tais como enzimas, células, circuitos genéticos e redesenho de sistemas biológicos existentes.”

Essa é a definição do próprio GTI 4.0 de Biologia Sintética. Com o avanço tecnológico se desenvolveu a área genética, bioquímica e bioinformática. Com elas, podem ser criadas partes do corpo artificiais para combater doenças e curar lesões.   

10- Sistema Cyber Físicos (CPS) 

Esse sistema interliga a parte mecânica da fábrica e a parte digital. Sensores podem coletar informações sobre as máquinas e enviá-las para softwares que irão armazená-las e tomar decisões sobre elas

Eles também podem enviar alertas de manutenção e relatórios, permitindo interação entre mundo físico e virtual.  

Vantagens e Desvantagens da Indústria 4.0

Vantagens

As maiores vantagens da Indústria 4.0 são: 

  • Redução dos custos de produção 
  • Mais funcionários livres para realizar funções estratégicas
  • Desenvolvimento de uma nova cultura organizacional 
  • Produção mais flexível
  • Maior velocidade na confecção de um produto
  • Maior acesso do público consumidor ao produto por um preço menor

Importante lembrar que todas essas recompensas só são conseguidas após um árduo trabalho de avaliação estratégica do mercado e da própria empresa. Ou seja, um planejamento bem detalhado. 

Além disso, é preciso coragem porque toda a cultura organizacional da empresa irá mudar

Desvantagens

A Indústria 4.0, também tem seus problemas. Dentre os principais podemos citar: 

  • Ciberataques e espionagem industrial (hackers)
  • Distribuição do poder a tecnocratas 
  • Tecnologias inovadoras serem usadas como armas
  • Inteligências Artificiais sendo usadas para golpes, guerras e fake news.

O curioso em relação a todos esses problemas é que o próprio desenvolvimento da Indústria 4.0 iria solucioná-los naturalmente

No caso dos hackers, por exemplo. A melhor forma de combatê-los é desenvolvendo ainda mais as tecnologias para que se tornem mais difíceis de serem invadidas.

Quais os principais desafios da Indústria 4.0?

No caso do Brasil, nosso país está sempre engatinhando em relação aos seus concorrentes. A economia brasileira é baseada em produtos pouco valiosos e altamente sujeitos à instabilidade do mercado, além de darem pouco lucro

É difícil implantar a Indústria 4.0 em um país de indústria estagnada, pouca tecnologia e em constante crise econômica

Para contornar essa situação, o Brasil precisa de profissionais qualificados e que saibam montar um plano de ação bem pensado e que traga resultados

Ademais, é essencial a criação de uma cultura de criatividade, proatividade e gosto por inovações. Uma melhor infraestrutura em logística e comunicação também é bem vinda.    

Quais mudanças sua empresa pode sofrer? 

Entrar na Quarta Revolução Industrial exigirá da sua empresa, processos ágeis, ambientes híbridos e profissionais qualificados

Processos ágeis irão economizar custos e aumentar lucros. Isso irá gerar um ciclo virtuoso. Revertendo esse lucro para a própria empresa, ela aumentará a própria produção. Isso aumentará os lucros mais ainda e assim o ciclo recomeça. 

O ambiente híbrido exigirá grande flexibilidade dos seus funcionários, ainda mais considerando que eles terão de trabalhar com robôs. As pessoas assumirão funções estratégicas enquanto as máquinas, atividades mais operacionais e repetitivas

Os gestores deverão pesquisar sobre os pilares da Indústria 4.0 e assim poderão mensurar os prós e contras da Indústria 4.0 em suas empresas. 

Quanto à mão de obra qualificada, se não for possível contratar profissionais para os serviços, avalie quais dentro da própria organização possuem tais perfis.

Investir em alguém de dentro pode até ser mais vantajoso, pois ele já é um profissional que conhece a cultura organizacional da empresa. 

A tendência é que ele seja leal a ela, afinal, todo bom funcionário gosta de provar o seu potencial e retribuir a confiança

Como se preparar para a Indústria 4.0?

Faça um mapeamento de atividades. Verifique quais trabalhos podem ser automatizados, modernizados e quais mais impactam nos processos

Claro que isso vai demandar um certo investimento um tanto rigoroso. Entretanto, caso o plano seja bem feito, crescem as chances de tudo ser rapidamente recuperado.

Seu plano pode começar por capacitar sua equipe. Foque em ensiná-los a automatizar tarefas e gerir dados digitais. Também foque em áreas que sejam a especialidade da companhia. 

Mantenha-se conectado com fornecedores e parceiros que apoiem suas empreitadas. Eles podem ajudar bastante na otimização da sua empresa. Seja fornecendo peças, métodos ou ideias.  

Por fim, esperamos que esse texto tenha sido útil para você. Para finalizar, recomendamos o download da nova rede social profissional: Peixe 30

Ela permite aos empresários encontrarem novos colaboradores para suas equipes e aos trabalhadores mostrarem seu trabalho às grandes organizações e darem o próximo passo na sua carreira. Baixe já!

Faça parte desse oceano!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.